SOMOSA históriaAbrangênciaBlog do GleizerDownload SPMFotosBaixa aí óAulas de Bateria MusicalProgramação/ WebrádioFórum
Rádio São Paulo Mais Músicas S.A.
SP MAIS FM 87,7 MHZ
Há 20anos os Paulista insistem em votar no PSDB

quinta-feira, 15 de outubro de 2015 - 9:46

Sabesp decreta sigilo de 15 anos sobre dados da rede de água e esgoto

Máquinas da Sabesp trabalham na Represa do Jaguari, em SP. (Reuters)Máquinas da Sabesp trabalham na Represa do Jaguari, em SP. (Reuters)

Em meio à crise hídrica, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) decretou sigilo de 15 anos sobre dados da rede de água e esgoto, incluindo informações de projetos e localização de equipamentos, instalações e sistemas. A estatal alega que a divulgação pode "implicar em possíveis usos inadequados, manipulação e danos nos sistemas de abastecimento de água ou esgotamento sanitário".

O comunicado que decretou o sigilo foi publicado no Diário Oficial no dia 30 de maio pela diretoria da Sabesp, presidida pelo engenheiro Jerson Kelman. A empresa afirma no documento ter respaldo em um trecho de um decreto de 2012, do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que permite tornar secretos dados públicos que possam "pôr em risco a vida, a segurança ou a saúde da população".

O caso foi revelado ontem pelo portal iG, que descobriu o fato após ter um pedido de acesso à informação negado em todas as instâncias do governo Alckmin.

Alckmin fez o mesmo com dados do metrô. (DGABC)Alckmin fez o mesmo com dados do metrô. (DGABC)

Segundo a reportagem, o sigilo foi usado pela Sabesp para não divulgar a lista dos 626 "pontos prioritários" da Grande São Paulo, como hospitais, presídios e clínicas de hemodiálise, onde a companhia anunciou obras para evitar que eles fiquem sem água, caso haja um "rodízio drástico".

Para a Ouvidoria-Geral do Estado, que recebe o último recurso sobre os pedidos de acesso à informação negados por órgãos públicos, a Sabesp informou que "o dano ou a sua ameaça ao sistema de abastecimento público de água traria enorme prejuízo à sociedade, podendo ensejar, inclusive, depredações e violência contra os órgãos do Estado".

Na resposta, a Sabesp afirma ainda que "o uso de tais informações para planejamento de ações terroristas é uma hipótese remota, porém não pode ser descartada". Por causa do sigilo, a Ouvidoria indeferiu o acesso à informação.

Mestre em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Fabiano Angélico afirma que o sigilo deve ser exceção e que a classificação do que é secreto não pode ser abrangente. "É evidente que o Estado tem o dever de proteger informações que podem colocar a população em risco. Mas a decisão de tornar um dado secreto deve ser a exceção da exceção e também deve ser feita de forma clara e transparente."

Foto aérea da Represa de Atibainha. (Reuters)Foto aérea da Represa de Atibainha. (Reuters)

Em nota, a Sabesp informou que as informações sobre instalações subterrâneas "são sigilosas para evitar eventuais atos de sabotagem ou vandalismo que colocariam em risco a vida, segurança ou saúde da população". A companhia informou que vai divulgar nesta semana a lista das entidades beneficiadas com conexões de água.

Na semana passada, o governo Alckmin revogou um decreto semelhante, de julho de 2014, que havia decretado sigilo de 25 anos sobre 175 documentos de transportes metropolitanos após a divulgação do fato provocar polêmica.

<< Navigate to quinta-feira, 15 de outubro de 2015 Adicionar novo comentario
No records found        
Adicionar novo comentario
Seu Nome   
Assunto   
Content   
Please type the confirmation code you see on the image into the field below.
*Required fields

11111111110000001000100010000000100010001111111111001100110000001100110010000000111100001010101011110000110011001000100011111111


Categorias
Archive
junho de 2022
abril de 2022
setembro de 2019
maio de 2019
março de 2019
novembro de 2018
setembro de 2018
agosto de 2018
julho de 2018
junho de 2018
SOMOSA históriaAbrangênciaBlog do GleizerDownload SPMFotosBaixa aí óAulas de Bateria MusicalProgramação/ WebrádioFórum